sábado, 5 de fevereiro de 2011

Eu tenho um certo preconceito contra as palavras fidelizar, blindar, reter...

Desculpe a radicalização...

São palavras que, de verdade, não se realizarão jamais. Só doido é fiel a uma marca. Olha a prateleira de shampoo da sua casa, a estante de cremes da sua mulher ou sua e o teu armário. A gente troca e experimenta um monte. O poder do consumidor de que tanto se fala é isso. Ele nos manipulando. Claro tem coisa que não dá pra ficar mudando todo dia, mas até a classe d percebeu que ter vários celulares dá lucro. Com cada um de uma operadora eu falo de graça com quem eu quero. Quem é que manipulou quem?

Blindar é sacanagem. Tudo bem que eu consigo que o Cliente fique com dificuldade de cair fora da minha marca se ele comprar mais de um produto meu, mas se ele ficar falando mal??????? Blinda então... Se a gente quiser que o Cliente fique refém, comprando e pagando um dízimo pra nós e falando mal da marca pra todo mundo.

E retenção, cá pra nós, é muito pior que reconquistar. Toda vez que eu faço uma ação de retenção o Cliente tava p... da vida com a marca, a gente vai lá, canta ele, dá um desconto enorme e o cara fica. Sai da ligação dizendo... Ferrei os caras... tiveram que fazer um desconto enorme pra mim...

Que tal investir em atendimento de verdade? Que gera reputação de verdade, que por sua vez conquista relacionamentos voluntários de verdade. E que, por fim, gera resultado sustentável. Economia em investimento no marketing tradicional. Vamos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário